DISTONIA

Distonia é um tipo de movimento involuntário que pode ocorrer em qualquer região do corpo. Pode ser localizada (focal) ou generalizada e se caracteriza por uma contração de músculos. Esta contração involuntária em desarmonia com os músculos provoca posturas anormais, além de dores. Uma das maneiras de se classificar uma distonia é observar em qual segmento do corpo ela ocorre.  Temos:

 

Distonia focal: Este tipo de distonia acomete um único segmento, sendo os mais comuns:  

- Blefarospasmo

- Distonia oromandibular

- Torcicolo espasmódico

- Câimbra do escrivão

- Hemiespasmo facial

 

Distonia Segmentar: que comprometem dois segmentos corporais contíguos  (mão e antebraço ou cabeça e pescoço);

 

Distonia Multifocal:  Afeta duas ou mais regiões do corpo, que não estão interligadas, como o braço esquerdo e a perna esquerda, por exemplo, provocando contrações musculares involuntárias no grupo de músculos afetados.

 

Distonia generalizada: Afeta o tronco e, pelo menos, duas outras partes do corpo. Geralmente tem início na infância ou adolescência e começa com contrações involuntárias em um dos membros, que depois se espalham para outras partes do corpo, como acontece na Distonia de Torção, que começa em um pé ou membro inferior e depois se espalha pelo corpo, podendo causar dificuldade para andar.

 

Hemidistonia : Afeta um lado inteiro do corpo, causando espasmos involuntários e rigidez muscular em um lado do corpo.

 

As causas da distonia ainda são incertas, mas, existem algumas teorias que tentam explicar o seu surgimento. Acredita-se que a distonia primária, que não é consequência de nenhuma outra doença ou lesão, é causada por uma patologia no Sistema Nervoso Central (O sistema nervoso central (SNC) é constituído pelo encéfalo e medula espinal, que estão protegidos pelo crânio e coluna vertebral). A parte do cérebro afetada é aquela responsável pela função motora. A distonia secundária é causada por doenças ou acidentes que podem provocar lesões em certas partes do cérebro.

 

A distonia pode ser tratada com injeções de toxina botulínica, pois esta substância ajuda a diminuir as contrações musculares involuntárias características desta doença.

Veja alguns benefícios:

 

- Permite o relaxamento da musculatura, e o paciente passa a realizar tarefas que antes não conseguia.

- Tem efeito sustentável e reversível, sendo necessária nova aplicação depois de um período de tempo.

- Não tem efeitos colaterais.

- É menos invasiva que cirurgias.

- É mais bem tolerada que os relaxantes musculares, que costumam sedar muito os pacientes.

- Contribui com a redução da dor.

- Melhora a qualidade de vida dos pacientes. 

- A NURI ( Eletrofisiologia Clínica) utiliza o aparelho de ultrassonografia para localização exata do músculo espástico.

 

 

Procure sempre um medico especialista para cuidar de você!

©   Eletrofisiologia Clinica. Todos os Direitos reservados.

  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram