• NURI | Eletrofisiologia

Blefaroespasmo



O que é blefaroespasmo ?

Blefaroespasmo é uma forma de distonia, uma desordem do movimento. É o ato de abrir e fechar os olhos de maneira involuntária, descontrolada e excessiva. Piscar é saudável porque a lágrima limpa a córnea e neutraliza microrganismos que poderiam provocar infecções. Mas, em alguns casos, o ato de abrir e fechar os olhos pode caracterizar uma doença, o blefaroespasmo. Ele causa contrações involuntárias dos músculos na região dos olhos e sobrancelhas. As contrações musculares repetitivas podem ser súbitas e podem resultar em piscamento leve ou mais forte, até causando um fechamento forçado dos olhos. Pessoas com blefaroespasmo tem visão normal, mas o fechamento involuntário dos olhos pode interferir na visão (cegueira funcional).

Como os sintomas mudam ou progridem com o passar do tempo?

Os sintomas de blefaroespasmo podem começar com um aumento da frequência do piscamento, sensibilidade à luz (fotofobia), sensação de olho irritado ou seco, ou sensação de corpo estranho no olho. Geralmente afeta ambos os olhos, mas pode começar em um olho apenas. Os sintomas tipicamente pioram com stress e podem melhorar apos o sono. Algumas pessoas descobrem “truque sensitivo” que são movimentos ou posturas que temporariamente aliviam os sintomas como tocar gentilmente algum local da face, esfregar olhos ou falar. O blefaroespasmo pode ocorrer isoladamente (significando que este seria o único transtorno neurológico aparente) ou desenvolver após exposição a drogas, medicamentos, lesão cerebral ou em associação com patologias como síndromes parkinsonianas e doença de Wilson.

Existem diferentes tipos?

O blefaroespasmo pode ocorrer em associação com a distonia de face ou mandíbula (distonia oromandibular) que é conhecida como síndrome de Meige. Em alguns casos, os espasmos das pálpebras são acompanhados de fechamento da mandíbula ou abertura da boca, caretas e/ou movimentos da língua.

Quais tratamentos estão disponíveis?

O tratamento mais eficaz para blefaroespasmo é a aplicação regular de neurotoxina botulinica nos músculos afetados. As experiências clínicas demonstram que a toxina é o método mais seguro e eficaz disponível atualmente. As aplicações para blefaroespasmo tipicamente inclui vários pontos de injeção na região dos olhos e sobrancelhas. Regredindo o espasmo em poucos dias. O diagnostico de blefaroespasmo necessita da habilidade do profissional qualificado em reconhecer os sintomas e excluir outras possibilidades diagnosticas. Não deve ser confundido com ptose palpebral, blefarite ou espasmos hemifaciais, que são outras entidades patológicas.

Procure sempre um médico especialista.

#blefaroespasmo

©   Eletrofisiologia Clinica. Todos os Direitos reservados.

  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram