• NURI | Eletrofisiologia

Distonia Cervical

Atualizado: 28 de Nov de 2019



O que é a distonia cervical (torcicolo espasmódico/distonia do pescoço)?

A Distonia é uma desordem neurológica do movimento e a distonia cervical é uma forma especifica que afeta a cabeça e pescoço. Ela produz um padrão de contração muscular repetitiva do pescoço. Estas contrações musculares causam movimentos anormais e posturas bizarras e estranhas da cabeça, pescoço e algumas vezes do ombro.

A distonia cervical é a forma mais comum de distonia visto na pratica clínica de desordens do movimento. Pode também ser chamada de torcicolo espasmódico.

O que causa?

A causa da distonia não é conhecida até o momento. Ela pode ser primaria ou secundaria.

Na distonia primaria não se tem evidência de nenhuma causa identificável para os sintomas distônicos. A distonia cervical primária pode ser genética e tipicamente afeta adultos. Estudos epidemiológicos são necessários, mas estima se que ela afeta não menos de 40.000 pessoas nos Estados Unidos.

A distonia cervical pode ocorrer no contexto de início precoce de uma distonia generalizada, o que é geralmente associado com a mutação do gene DYT1.

As distonias secundarias são devidas a causas estruturais ou metabólicas e são usualmente associadas a outros sintomas neurológicos.

A causa mais comum da distonia cervical secundaria são: trauma físico (10% casos) e reação a drogas medicamentosas (menos de 10%). A distonia cervical induzida por drogas é mais comumente associada a medicações neurolépticas. Pode ocorrer em qualquer idade, dependendo do evento causador. Crianças com paralisia cerebral podem ter sintomas de distonia secundária, inclusive distonia cervical.

Existem diferentes formas ou variações?

Sim. Os sintomas da distonia podem ser sustentadas (tônicas), causando posturas anormais da cabeça e pescoço, ou espasmódicos (clônicas) , causando movimentos abruptos da cabeça. Muitas pessoas tem uma combinação de movimentos repetitivos e constantes. Movimentos espasmódicos podem lembrar um tremor e algumas vezes a distonia pode causar confusão com tremor essencial o qual é outra parte dos distúrbios do movimento.

A distonia cervical pode ter as seguintes formas:

1. Pescoço rodar para lado (torcicolo)

2. Cabeça com inclinação para frente (anterocolo)

3. Cabeça com inclinação para trás (retrocolo)

4. Cabeça inclinada para lado orelha (laterocolo)

5. Ombro eleva em direção orelha

A maioria das pessoas tem uma combinação dos movimentos citados acima. Estimativa sugere que acima de 75% das pessoas com distonia cervical tem dores no pescoço e região do ombro. Cefaleias são frequentemente relatadas. Não é infrequente a associação de distonia cervical com tremor das mãos.

Como é a progressão com o passar do tempo?

Os sintomas geralmente se mantem estáveis com alguns anos do inicio do quadro. Os sintomas podem mudar ou flutuar em severidade, por períodos.

Em 1/3 dos pacientes com distonia cervical, os sintomas podem espalhar para áreas vizinhas como face, mandíbula, ombro ou braço.

Quais tratamentos estão disponíveis?

Um dos tratamentos mais eficientes é a aplicação regular da toxina botulínica nos músculos afetados na distonia cervical. Trazendo alívio da dor, melhora na postura e ajudando na qualidade de vida do paciente.

Varias medicações orais tem mostrado alguma melhora, mas nenhuma se mostrou efetiva para a maioria dos pacientes. Nos últimos anos, cirurgias seletivas de desnervação são pouco utilizadas. Fisioterapia especializada em desordens neurológicas podem melhorar a amplitude de movimentos e ajudar a diminuir a dor. Terapias complementares devem ser exploradas, e práticas de relaxamento podem melhorar desconforto, as dores e bem estar geral.


#distoniacervical

©   Eletrofisiologia Clinica. Todos os Direitos reservados.

  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram