• NURI | Eletrofisiologia

Sindrome do túnel do carpo



A síndrome do túnel do carpo é uma neuropatia resultante da compressão do nervo mediano no túnel do carpo, estrutura que se localiza entre a mão e o antebraço no punho.

A região do punho por onde os nervos chegam até a mão é chamada de túnel carpal. Esse túnel normalmente é estreito, de modo que qualquer edema pode comprimir o nervo e causar dor, dormência, formigamento ou fraqueza – sintomas da síndrome do túnel do carpo.

Entre as causas da síndrome do túnel do carpo temos os movimentos repetitivos, como digitar ou tocar instrumentos musicais, causas traumáticas como quedas e fraturas, inflamatórias como a artrite reumatoide, hormonais e medicamentosas. Tumores também estão entre as possíveis causas dessa síndrome.

Vários fatores têm sido associados à síndrome do túnel do carpo. Embora por si só não sejam capazes de causar a doença, esses fatores podem aumentar suas chances de desenvolver ou agravar lesão do nervo mediano.

1. Fatores anatômicos

A fratura de punho ou deslocamento que altera o espaço dentro do túnel do carpo podem criar uma pressão sobre o nervo mediano. Pessoas com túneis do carpo menores podem ser mais propensas a ter síndrome do túnel do carpo.

2. Sexo

A síndrome do túnel do carpo é geralmente mais comum em pessoas do sexo feminino. Isso pode ser porque a área do túnel do carpo é relativamente menor do que em homens, e pode haver menos espaço.

3. Inflamação nas articulações

Doenças que são caracterizadas por inflamação nas articulações, tais como artrite reumatoide e gota, podem afetar os tendões no punho, exercendo pressão sobre o nervo mediano.

4. Alterações no equilíbrio dos fluidos corporais

A retenção de líquidos, comum durante a gravidez ou a menopausa, pode aumentar a pressão dentro do seu túnel do carpo, inflamando o nervo mediano. A síndrome do túnel do carpo associada à gravidez geralmente desaparece espontaneamente após a gravidez, devendo ser monitorada.

5. Patologias associadas

Certas condições, como menopausa, obesidade, distúrbios da tireoide, distúrbios metabólicos como diabetes / gota e insuficiência renal, podem aumentar as chances de desenvolver a síndrome do túnel do carpo.

6. Tipo de trabalho

É possível que o trabalho com ferramentas vibratórias ou em uma linha de montagem que exige flexão prolongada ou repetitiva do pulso possa criar uma pressão prejudicial sobre o nervo mediano, ou piorar lesão do nervo existente. No entanto, as evidências científicas são conflitantes e esses fatores não foram estabelecidos como causas diretas da síndrome do túnel do carpo.

Vários estudos têm avaliado se existe uma associação entre o uso do computador e síndrome do túnel do carpo. No entanto, ainda não há evidências consistentes de que o uso excessivo do computador possa causar a doença – muito embora possa, sim, causar dores na região das mãos e dos punhos.

7. Sinais e Sintomas

Os principais sinais e sintomas da síndrome do túnel do carpo incluem:

•Dormência ou formigamento do polegar e dos dois ou três dedos seguintes, de uma ou de ambas as mãos.

•Dormência ou formigamento da palma da mão

•Dor no punho ou na mão que se estende até o cotovelo

•Problemas com movimentos finos dos dedos (coordenação)

•Fraqueza e perda de tato e sensibilidade para preensão principalmente de coisas pequenas como pegar ou segurar uma agulha, clipes, grampos.

•Despertar noturno com mãos dormentes. Geralmente tem de pendurar as mãos ao lado da cama ou balançar as mãos como forma de alívio dos sintomas.

8. Diagnóstico e Exames complementares

Se você tem sintomas sugestivos de síndrome do túnel do carpo persistentes, interferindo em suas atividades de vida diárias e alterando o padrão de sono, consulte um médico especialista. Sem o tratamento adequado, esta patologia pode levar a danos permanentes e definitivos do nervo mediano.

Entre os especialistas que podem diagnosticar a síndrome do túnel do carpo temos a clinica médica, ortopedia, reumatologia e fisiatria.

O exame para diagnóstico da compressão do nervo mediano é a Eletroneuromiografia, que vai confirmar o diagnóstico, grau e intensidade da compressão e se a mesma é aguda ou crônica.

Outros exames auxiliares e complementares seriam o estudo radiológico e ultrasonográfico para afastar outras patologias e alterações anatômicas que possam estar associadas a síndrome do túnel do carpo.

9. Tratamento

O tratamento leva em conta principalmente a gravidade da patologia, daí a importância do estudo eletroneuromiografico. Se for de leve à moderada, o tratamento clinico conservador com antiinflamatórios e fisioterapia associado ou não ao uso de infiltração com corticosteroide pode ser indicado.

Esgotadas as possibilidades de tratamento conservador ou já diante de uma compressão severa, é indicada a cirurgia de liberação ou descompressão do túnel do carpo.

Na maioria dos casos ela é bem sucedida, mas depende de quanto tempo o nervo está comprimido e da gravidade desta compressão. Por isto é importante um diagnóstico correto e de um adequado acompanhamento.

#tuneldocarpo

©   Eletrofisiologia Clinica. Todos os Direitos reservados.

  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram