• NURI | Eletrofisiologia

Bruxismo

Atualizado: 14 de Jun de 2019

Rangendo os dentes? Apertamento forçado da mandíbula? Dores de cabeça? Dentes danificados? Leia essa matéria e veja a solução.



O bruxismo é mais comum do que a gente pensa e é caracterizada pelo hábito de ranger ou apertar muito os dentes. As disfunções da articulação temporomandibular (ATM) atingem cerca de 30% da população mundial, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS). Pode ocorrer durante o dia, sendo mais comum a noite durante o sono.


Alguns dos sintomas incluem:


  1. Contrações rítmicas dos músculos da mandíbula;

  2. Ranger os dentes, emitindo um som que pode perturbar o sono da pessoa com quem você compartilha o quarto;

  3. Músculos da mandíbula apertados ou doloridos;

  4. Estalo ou clique quando você mexe a articulação temporomandibular;

  5. Dor por um período prolongado nos músculos da face;

  6. Dentes danificados, restaurações dentárias quebradas e gengiva ferida;

  7. Dor de cabeça; e inchaço (ocasional) na mandíbula inferior devido ao apertar dos dentes.


As causas podem ser:


Má oclusão; traumatismos; excessiva abertura da boca, estresse físico e muscular e alterações hormonais, entre outros fatores.


O tratamento:


Além de tratamentos como placas estabilizadoras para o bruxismo, temos agora, a toxina botulínica, que tem conquistado espaço para diminuir dores provenientes do apertamento dentário, aliviando as dores de cabeça e relaxando os músculos da face.


A toxina botulínica interfere diretamente no funcionamento dos músculos, realizando a inibição da contração muscular. Quando ela é aplicada na região dos músculos da mastigação, que são os mesmos responsáveis pela contração involuntária (bruxismo), estes são bloqueados. Desta forma, mesmo que haja tensão, estresse e alterações psíquicas (causas comuns do bruxismo), o músculo, bloqueado pela toxina botulinica, não consegue contrair de forma involuntária durante o sono.


Os resultados são satisfatórios e melhoram a qualidade de vida dos pacientes que sofrem deste problema.


Procure sempre um especialista.

12 visualizações

©   Eletrofisiologia Clinica. Todos os Direitos reservados.

  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram